O despertador toca cedo e tijolos de aço parecem ser colocados contra o nosso corpo na cama. Que demandas tão terríveis nos espera do lado de fora do mundo dos sonhos? Que fardos tão pesados temos carregado fora de nossas camas? E pior ainda? Quais fardos ainda permanecem sobre nossos ombros e nossas cabeças quando nos deitamos?

Essas demandas externas, essas imposições, a supressão de nossos desejos vai soterrando nossas alegrias e com isso nossas forças. Sem forças nos arrastamos pela casa, pela cidade, pela vida como mortos-vivos. Esse corpo não te pertence mais? A quem você tem entregue a sua força, sua energia vital? Sua vontade de viver?

Repara. Quem está perto de você? Quais são as pessoas que você trouxe para perto da sua vida, quais hábitos fazem de você um corpo dormente? Olha para si mesmo, cuida do que entra e sai da sua vida, mergulha mais profundo nas suas relações e se delicie novamente com a capacidade de ser afetar e ser afetado pelas experiências do mundo.

A verdade é que temos que aprender a fazer uma aliança com a vida. Parar de nega-la, parar de impor nosso tempo, parar de sobrecarregar a vida com inutilidades…A única coisa que podemos fazer é ouvir o som, sentir a força, ver a beleza, ser atravessado pelo tempo próprio da existência, cuidar de si para que assim seu corpo e sua existência possa entrar em conexão com as forças de vida.

Desanestesiar a existência é empurrar-se contra o fluxo das pressões anti-vida e ligar-se de forma fluida as águas que compõem a experiência de mergulhar. Mergulha, no tempo da vida, no véu dos céus e do cosmos. Empresta do tempo sua sabedoria, segue combinando suas forças as forças do mundo.

“O grande mar, eu vou aprender a nadar, o que é esse aprendizado? Eu não posso impor ao grande mar os ímpetos dos meus braços e pernas, que aí eu afundo. Eu tenho que combinar minhas forças, meus gestos, com os gestos e os movimentos das ondas “
(Trecho da aula “Ética em Deleuze” do professor Luiz Orlandi)


Ou você segue somente as demandas do mundo externo e das pressões da lógica do mercado que é claramente exterminadora de nossas forças ou você segue o tempo da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *